Testes e Questionários

Imagem Saeb Testes e Questionários

Por meio de testes e questionários, o Saeb reflete os níveis de desempenho do conjunto de estudantes avaliados e contextualiza esses resultados a partir de uma série de informações.

Os níveis de desempenho estão descritos e organizados, de modo crescente, em escalas de proficiência de língua portuguesa e matemática para cada uma das etapas avaliadas.

Com o estabelecimento da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), as matrizes de referência do Saeb foram revisadas. Os testes de língua portuguesa e matemática seguem como referência para as matrizes vigentes do Saeb, de 2001. Já as matrizes dos testes de ciências da natureza e ciências humanas, do 9º ano, e os de língua portuguesa e matemática, do 2º ano, seguem a BNCC, de 2017.

Na educação infantil, o foco está nas condições de oferta, infraestrutura e gestão, e não no desempenho da criança. Não há aplicação de testes porque os estudantes não podem ser avaliados nessa faixa etária. A avaliação ocorre por meio de questionários eletrônicos, respondidos por diretores, professores e secretários estaduais e municipais de educação.

No ensino fundamental, há testes de língua portuguesa e matemática para estudantes de 2º, 5º e 9º anos. Uma amostra de estudantes do 9º ano também faz testes de ciências humanas e ciências da natureza, a partir do Saeb 2019. Diretores e secretários de educação respondem a questionários eletrônicos. Já os demais professores e estudantes respondem a questionários de papel. No 2º ano, especificamente, não há questionário para estudantes.

No ensino médio, são aplicados testes de língua portuguesa e matemática para estudantes das 3ª e 4ª séries do ensino médio tradicional e integrado. Diretores e secretários de educação respondem a questionários eletrônico. Professores e estudantes respondem a questionários de papel.

Testes

Os testes de língua portuguesa para o 5º e o 9º ano do ensino fundamental e para a 3ª série do ensino médio têm foco em leitura. O objetivo é verificar se os alunos são capazes de apreender o texto como construção de conhecimento em diferentes níveis de compreensão, análise e interpretação. Nesse contexto, ser competente no uso da língua significa saber interagir, por meio de textos, nas mais diferentes situações de comunicação. É uma atividade complexa que exige do leitor demonstrar habilidades como reconhecer, identificar, agrupar, associar, relacionar, generalizar, abstrair, comparar, deduzir, inferir e hierarquizar.

Já o teste de língua portuguesa do 2º ano do ensino fundamental visa aferir os níveis de alfabetização dos estudantes. A noção de alfabetização assumida nesta proposta de avaliação trata a apropriação do sistema de escrita alfabética de modo articulado ao domínio progressivo de habilidades de leitura e produção de textos com autonomia. Assim, as habilidades presentes na Matriz de Referência de Língua Portuguesa para o teste do 2º ano do ensino fundamental compreendem desde o domínio do princípio alfabético, passando pela leitura e escrita de palavras com diferentes padrões silábicos, até a leitura e a produção de textos com autonomia.

Os testes de matemática do 5º e do 9º ano do ensino fundamental e da 3ª série do ensino médio têm foco na resolução de problemas. São consideradas capacidades como observação, estabelecimento de relações, comunicação (diferentes linguagens), argumentação e validação de processos, estimulando formas de raciocínio como intuição, indução, dedução e estimativa. A Matriz de Referência de Matemática foi estabelecida a partir do pressuposto de que o conhecimento matemático ganha significado quando os alunos têm situações desafiadoras e trabalham para desenvolver estratégias de resolução, o que não exclui totalmente a possibilidade da proposição de alguns itens com o objetivo de avaliar se o aluno tem domínio de determinadas técnicas.

Já o teste de matemática do 2º ano do ensino fundamental avalia o letramento matemático, conceituado como a compreensão e a aplicação de conceitos e procedimentos matemáticos, bem como a resolução de problemas e a argumentação nos campos de números, álgebra, geometria, grandezas e medidas e probabilidade e estatística. O teste, portanto, avalia o domínio dos estudantes sobre as ferramentas com as quais se faz matemática (se são capazes de reconhecer objetos matemáticos; fazer conexões entre conceitos e procedimentos matemáticos; usar diferentes representações), bem como o domínio sobre o uso dessas ferramentas para fazer matemática (se são capazes de resolver problemas; analisar a plausibilidade dos resultados de um problema; construir, analisar ou avaliar argumentos, estratégias, explicações, justificativas; construir ou avaliar propostas de intervenção na realidade, entre outros).

Questionários

Enquanto os resultados dos estudantes nos testes cognitivos permitem avaliar a aprendizagem, as respostas dos questionários possibilitam analisar o nível socioeconômico, os serviços sociais, a infraestrutura, a formação de professores, o material didático e os programas estruturados. A aferição da aprendizagem isoladamente não é capaz de estimar a qualidade porque a educação escolar não envolve apenas aquilo que os estudantes demonstram saber, mas também as interações entre o ambiente que os envolve e as relações que estabelecem entre os diversos sujeitos do processo educacional.

Os secretários estaduais e municipais respondem sobre o funcionamento das redes de ensino, com a abordagem de temas como conselhos, currículos, práticas avaliativas e contratação de professores.

Diretores de escolas de 5º e 9º anos do ensino fundamental e de 3ª e 4ª séries do ensino médio participantes do Saeb fornecem dados sobre o perfil e a experiência dos gestores escolares, as atividades desenvolvidas, os recursos disponíveis e a infraestrutura do estabelecimento. O conjunto de perguntas permitirá conhecer mais sobre a realidade da educação nas escolas.

Professores acrescentam informações sobre formação docente, experiência profissional, condições de trabalho, dificuldades de aprendizagem dos alunos, violência no ambiente escolar, recursos didáticos e práticas pedagógicas desenvolvidas na escola.

No caso dos estudantes, o questionário aborda temas como nível socioeconômico, participação da família e atividades pedagógicas desenvolvidas.

Página atualizada em: 30 outubro 2019