Observatório 24 de Julho de 2008

Seminário apresentou projetos de pesquisa em educação

Observatório da Educação

Coordenadores de 28 projetos de pesquisa em educação estiveram reunidos em Brasília na primeira semana de julho para apresentar os trabalhos que vêm realizando há cerca de dois anos dentro do programa Observatório da Educação. O Observatório da Educação é uma parceria entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES/MEC) e Instituto de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) que fomenta pesquisas em educação em programas de mestrado e doutorado.

Foram dois dias de troca de experiências entre pesquisadores de todo o país. Ao todo foram apresentados relatos de 28 projetos de pesquisa em andamento, abordando os mais diferentes temas: desde uma análise comparativa do desempenho de estudantes surdos nos exames nacionais até a síndrome de burnout dos professores da educação básica até uma proposta de construção de plataforma que possibilite a integração dinâmica das diferentes bases de dados do Inep, tornando os dados mais acessíveis ao grande público e possibilitando cruzamentos e inferências até aqui extremamente difíceis de gerar.

Para o Diretor de Educação Básica da CAPES, Dilvo Ristoff, o resultado foi satisfatório. "A compreensão geral foi de que o intercâmbio de experiências superou a simples tomada de conhecimento dos temas com os quais os pesquisadores estão envolvidos, permitindo também conhecer as metodologias, as estratégias, as expectativas de resultados e, claro, também as dificuldades encontradas", ressalta.

Segundo Ristoff, todos os coordenadores saíram do evento mais enriquecidos e dispostos a compartilhar os resultados com os colegas, a CAPES, o Inep e a sociedade brasileira, por meio do Portal do Observatório, lançado no seminário."Duas propostas concretas foram feitas: a primeira de utilização de uma das pesquisas para facilitar a divulgação das atividades na internet e a segunda de publicação, pela CAPES e pelo Inep, de um livro sobre o desempenho de estudantes surdos, que já é resultado".

"Cada um dos projetos apresentados", diz Ristoff, "tem a sua contribuição específica a dar e faz, a seu modo, avançar o conhecimento sobre a educação brasileira. É esta contribuição que nos permitirá sustentar adequadamente as nossas políticas públicas. Embora os resultados sejam ainda parciais, no estágio em que se encontram, todas as pesquisas parecem demonstrar que houve boas razões para terem sido selecionadas".

O segundo edital já foi aprovado pela Procuradoria da Capes e a previsão de lançamento é ainda para este mês.

Assessoria de Imprensa da CAPES