Educação Básica 28 de Maio de 2014

Resultado de avaliação incluirá dados socioeconômicos

A Avaliação Nacional de Alfabetização (ANA), aplicada em 2013 a 2,3 milhões de alunos do 3º ano do ensino fundamental, será divulgada em junho com dados contextualizados do nível socioeconômico dos alunos e também da formação dos professores. Será a primeira vez que os resultados de uma avaliação incluirão informações socioeconômicas.

O anúncio foi feito pelo presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Chico Soares, nesta terça-feira, 27, durante o Fórum Extraordinário da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), realizado em Florianópolis. O evento, que reúne mais de mil representantes de municípios brasileiros, segue até sexta-feira, 30.

"Nós queremos mudar a ideia de reduzir a apresentação de uma avaliação a uma única dimensão", afirmou o presidente. De acordo com ele, a realidade tem muitas facetas que devem ser representadas por vários indicadores. Por isso, o Inep utilizará a contextualização para permitir a análise dos resultados da escola e compará-los a outros estabelecimentos com perfil parecido (mesma microrregião, nível socioeconômico e localização). "Percebemos que há atendimento do direito à educação e sucesso escolar em qualquer situação", complementou.

O questionário socioeconômico e as informações do programa Bolsa-família permitiram criar o indicador do nível socioeconômico dos estudantes. Os dados de formação docente provêm do Censo Escolar.

Direito – A questão da equidade e da inclusão também foi destacada pelo presidente do Inep. Para ele, o direito à educação deve ser concretizado e, para isso, o estudante tem de possuir uma trajetória regular de aprendizado. "A educação tem que dar à criança a chance de, na idade certa, ter acesso, permanecer na escola, ser promovida nas diferentes etapas e concluir", disse.
De acordo com Chico, o direito à educação deve ser monitorado e isto é realizado por meio de resultados educacionais das avaliações. "O estudante tem o direito de que nós, que estamos no sistema educacional, saibamos as suas necessidades", afirmou.

Danilo Almeida