Retrospectiva 2016 28 de Dezembro de 2016

Publicação do primeiro monitoramento de metas do PNE revelou desafios para a educação

Os principais resultados do monitoramento das 20 metas do Plano Nacional de Educação (PNE): 2014-2024 foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em 8 de outubro, durante um seminário. O relatório traz dados relativos ao 1º Ciclo de Monitoramento das Metas do PNE, de 2014 a 2016.

Os resultados revelaram tendências e desafios para as políticas públicas educacionais até 2024, principalmente em relação à qualidade, condições de oferta e universalização da educação básica; educação técnica e profissional; ensino superior e pós-graduação; formação de professores e valorização dos profissionais da educação; financiamento, custos e investimentos em educação.

O Inep é o órgão responsável pela produção de estudos e informações que subsidiem o acompanhamento do plano. "Com essa publicação, entregamos à sociedade brasileira uma análise atualizada sobre a evolução do cumprimento das metas nacionais e permite dimensionar os desafios que se impõem para o alcance dos objetivos traçados", defendeu a presidente do órgão, Maria Inês Fini.

A atualização da publicação, a cada dois anos, permitirá, em conjunto com outros indicadores e estudos divulgados pelo instituto, o acompanhamento sistemático do PNE. "O relatório nos auxiliará a compreender se o direito à educação de qualidade para todos está sendo efetivamente usufruído e se oportunidades educacionais têm se distribuído de forma mais equitativa no interior da sociedade brasileira", concluiu.

O relatório atualiza os indicadores selecionados e anteriormente divulgados no documento PNE – Linha de Base, em 2015, e incorpora modificações e aprimoramentos nos indicadores, a partir de sugestões dos pesquisadores do Ministério da Educação (MEC) e de instituições que compõem o Fórum Nacional de Educação (FNE) ligados ao monitoramento, assim como de participantes da consulta pública sobre a Linha de Base, realizada em 2015.

Assessoria de Comunicação Social