Observatório 02 de Julho de 2008

Pesquisadores apresentam trabalho com dados educacionais

Observatório da Educação

O andamento das primeiras pesquisas educacionais de pós-graduação, financiadas pelo programa Observatório da Educação, começa a ser apresentado nesta quarta-feira, 2, e se encerra na quinta-feira, 3, em Brasília. O 1º Seminário do Observatório da Educação, no auditório da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC),
reúne os coordenadores dos 28 projetos de pesquisa iniciados em 2006, com a criação do programa.

O Observatório estimula programas de mestrado e doutorado a realizar pesquisas educacionais a partir de informações oferecidas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep/MEC). Os grupos de pesquisa financiados devem analisar dados dos censos da educação superior e da educação básica, do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), da Prova Brasil e do Cadastro Nacional de Docentes, entre outros
disponíveis nos bancos de dados do Inep.

"Essa é uma massa de dados muito pouco utilizada em pesquisas", justifica o presidente do Inep, Reynaldo Fernandes. O diretor de Educação Básica da Capes, Dilvo Ristoff, acredita que os dados precisam de interpretação qualitativa. "Esses dados, se não contextualizados no tempo e no espaço, não têm significado", afirma. Para ele, as pesquisas permitem conhecer melhor as escolas, os professores e os alunos. "Com
elas, é possível construir políticas ancoradas em interpretações sólidas dos dados."

Até agora, foram destinados cerca de R$ 2 milhões por ano para financiar as pesquisa. "Mas o nosso orçamento terá aumento significativo, para R$ 5,5 milhões", informa Ristoff.

Dois anos após a abertura do primeiro edital do programa, os grupos de pesquisa de mestrado e doutorado vêm a Brasília apresentar o trabalho realizado e trocar experiências sobre a pesquisa com dados educacionais. Há a expectativa de que os grupos possam continuar os estudos nas universidades de origem após o fim do financiamento do Observatório da Educação, que dura quatro anos.

Resultado de parceria entre Inep e Capes, o programa recebe o apoio da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad/MEC) no edital de 2008. Os novos grupos de pesquisa terão de apresentar projetos relacionados a educação básica, superior, profissional e tecnológica, continuada, a distância, de jovens e
adultos, no campo, quilombola, especial e integral. As pesquisas devem ter como prioridade a formação de professores. O edital deve ser lançado ainda este mês.

Assessoria de Comunicação do MEC