Educação Básica 27 de Março de 2014

Mexicanos vêm ao Brasil para conhecer indicador de qualidade

Representantes da Secretaria de Educação Pública do México e da embaixada do país no Brasil estiveram na sede do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), nesta quinta-feira, 27, em Brasília, para conhecer a metodologia do índice de desenvolvimento da educação básica (Ideb). O objetivo foi aprofundar o tema para que o México possa criar seus próprios indicadores.

De acordo com o presidente do Inep, Chico Soares, este é um primeiro momento de troca de experiências. "A intenção é manter cooperação entre os países. Somos muito similares e, por isso, precisamos nos apoiar e trabalhar em conjunto."

A vice-ministra de Educação Básica do México, Álba Martínez Olivé, ressalta que o país está em um período de reconstrução do sistema educacional e a troca de informações será muito importante. "A avaliação e a construção de indicadores serão fundamentais para obter a qualidade da educação, que hoje, no México, é um tema obrigatório e constitucional".

Álba explica ainda que o país não possui um indicador como o Ideb. "O Brasil tem um indicador muito claro para todo mundo, que permite medir os diversos níveis educacionais", observou.

O diretor de Estatísticas Educacionais do Instituto, Carlos Eduardo Moreno Sampaio, falou sobre a utilização do indicador. "O Ideb foi apropriado pelas escolas, as pessoas falam de Ideb, esperam esses resultados, e o que nós desejamos e nos esforçamos é que eles sirvam para a reflexão da escola."

Ideb – O índice de desenvolvimento da educação básica (Ideb) foi criado pelo Inep em 2007 e permite traçar metas de qualidade para a educação básica. Ele reúne em um único indicador dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: fluxo escolar e médias de desempenho nas avaliações.

Fabiana Pelles