Enem 03 de Novembro de 2019

Ministro da Educação e presidente do Inep visitam centro que monitora logística e segurança do Enem 2019

Atento a toda operação para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, acompanhado do presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, visitaram, na manhã deste domingo, 3 de novembro, o Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICCN), em Brasília (DF). O local reúne representantes das forças policiais do Brasil que observam cada detalhe para garantir a segurança da aplicação das provas.

O exame inicia logo mais, às 13h30, com questões de linguagens, ciências humanas e a redação. Mais de 1,7 mil municípios contam com salas de provas. Estão previstos 5 milhões de participantes.

Coordenado pela Secretaria de Operações Integradas (Seopi), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, o CICCN dá suporte ao monitoramento do transporte, da distribuição e do armazenamento dos Cadernos de Questões, Cartões-Respostas e materiais administrativos relacionados à aplicação do Enem. Além disso, o centro assegura a integridade de profissionais e participantes do exame.

Para Weintraub, que visitou o CICCN pela primeira vez, o apoio das forças policiais e das Forças Armadas em todo o processo é fundamental para o sucesso do Enem 2019. "Todo mundo está ajudando para que o Enem ocorra da forma mais eficiente e serena possível. [...] Queria agradecer a toda equipe espalhada pelo Brasil e ao ministro Sergio Moro, que está dando esse apoio para a gente", disse.

A estrutura possui uma grande central de monitoramento e se conecta a outras cidades do Brasil pelos Centros Integrados de Comando e Controle Regionais (CICCRs). As unidades ficam em constante interlocução com o CICCN, em Brasília, que funciona na sede da Polícia Rodoviária Federal. O projeto foi criado para a Copa do Mundo de 2014 e passou a ser utilizado em outros eventos, como as Olimpíadas, em 2016, e o Enem.

Alexandre Lopes, presidente do Inep, acrescentou que “durante todo dia, ficamos em videoconferência em Brasília, com os serviços de segurança pública, que prestam serviço nos locais de prova. A gente fica acompanhando para prestar orientações. Os aplicadores são treinados para lidar com as pequenas intercorrências”, tranquilizou Lopes.

Com o monitoramento, todas as ações são pensadas em conjunto, entre o Ministério da Educação, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o Consórcio Aplicador do Enem e o Ministério da Justiça e Segurança Pública.

No âmbito nacional, o centro é composto por representantes da Seopi, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, secretarias de Segurança Pública de todas as unidades da Federação, Correios, Defesa Civil, Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e colaboradores e servidores do Inep. Nos estados e no Distrito Federal, as unidades reúnem membros das secretarias de Segurança Pública, das polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros Militar, polícias Federal e Rodoviária Federal, Correios, consórcio aplicador e servidores do Inep.