Enem 01 de Novembro de 2019

Recursos de acessibilidade atendem mais de 38 mil participantes

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) trouxe mais recursos de acessibilidade para os participantes em 2019. Pela primeira vez, surdos, deficientes auditivos e surdocegos puderam indicar, durante a inscrição, o uso de aparelho auditivo ou de implante coclear, o que melhora o atendimento ao participante no dia da prova. O Inep registrou 1.848 usuários inscritos que utilizam um destes dispositivos ou os dois. Para 2020, uma comissão de especialistas estuda a elaboração de uma cartilha de redação para quem tem surdez, autismo e dislexia.

A comunidade surda que tem a Língua Brasileira de Sinais (Libras) como primeira língua faz, desde 2017, a videoprova traduzida em Libras. A modalidade permite que o participante realize a prova em notebook, mediante vídeo com enunciados das questões e opções das respostas traduzidas em Libras. Quem faz a videoprova conta com 120 minutos adicionais para cada dia do exame.

De acordo com coordenadora-geral de Desenvolvimento da Aplicação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Andréia Gonçalves, neste ano, o Enem vai oferecer 15 tipos de recursos de acessibilidade para atender aos participantes, incluindo auxílio para transcrição, tradutor-intérprete de Libras, prova em braile e ampliada, tempo adicional e videoprova em Libras. “Além desses recursos previstos em edital, o participante pode levar também materiais próprios, como óculos especiais, lupa e soroban”, complementa. “Mas, atenção, esses materiais serão vistoriados pelo aplicador”, reforça a coordenadora.

São mais de 1,3 mil participantes que farão videoprovas em Libras nesta edição do Enem, e 14,8 mil terão tempo adicional para finalizar a prova. Para atender quem precisa de auxílio para leitura, o Inep terá mais de 6 mil ledores de provas. O Inep ainda faz o atendimento específico para gestantes, lactantes e idosos – em situação hospitalar e outras condições –, o que soma 8 mil atendimentos neste ano.

As provas do Enem 2019 serão aplicadas em dois domingos, 3 e 10 de novembro. No dia 3, serão aplicadas as provas de linguagens, códigos e suas tecnologias, redação e ciências humanas e suas tecnologias. No dia 10, as provas serão de ciências da natureza e suas tecnologias, e matemática e suas tecnologias.

Acessibilidade – Os recursos acessíveis do Enem fazem parte da Política de Acessibilidade e Inclusão do Inep, que visa abranger o maior número possível de interessados na execução dos exames elaborados pela instituição. O objetivo é proporcionar acesso aos programas educacionais brasileiros.

Visão monocular e baixa visão: ledor, transcritor, prova com letras e figuras ampliadas, sala de fácil acesso. O edital também prevê que, se solicitado, o candidato pode fazer o uso de alguns materiais próprios, como caneta de ponta grossa, tiposcópio, óculos especiais, lupa, telelupa e luminária.

Cegueira: prova em braile, ledor, transcritor, sala de fácil acesso. Assim como os candidatos com baixa visão, o deficiente visual também pode ter o auxílio de materiais próprios. São eles: máquina Perkins, punção, reglete, assinador, tábuas de apoio, sorobã e cubaritmo – instrumentos que auxiliam na escrita e cálculos para pessoas cegas. O candidato também pode fazer a prova acompanhado de cão-guia.

Surdocegueira: guia intérprete, prova em braile, transcritor, sala de fácil acesso.

Deficiência auditiva e surdez: tradutor-intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras), leitura labial, videoprova em Libras.

Autismo, discalculia, deficit de atenção e dislexia: ledor, transcritor, tempo adicional – uma hora por dia.

Deficiência intelectual: ledor, transcritor, sala de fácil acesso.

Deficiência física: transcritor, sala de fácil acesso, mobiliário adaptado (mesa e cadeira sem braços e mesa para cadeira de rodas).

Leia o edital do Enem 2019

Acesse a Página do Participante do Enem 2019

Veja outras informações com a coordenadora de Aplicação do Inep