Institucional 08 de Fevereiro de 2019

Inep apresenta suas evidências educacionais no Curso Anual dos Bispos do Brasil

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) apresentou um panorama da educação brasileira durante o Curso Anual dos Bispos do Brasil, que este ano teve como tema “Chances e desafios para a educação no Brasil hoje”. A convite de Dom Orani João Tempesta, arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, o Inep apresentou as evidências educacionais que produz por meio de suas estatísticas, avaliações e estudos. Participaram do encontro, realizado na quinta-feira, 7 de fevereiro, no Rio de Janeiro (RJ), o presidente do Inep, Marcus Vinícius Rodrigues; o diretor de Estatísticas Educacionais do Inep, Carlos Eduardo Moreno Sampaio; e o secretário executivo adjunto do Ministério da Educação, Eduardo Miranda Freire de Melo. Paulo Cesar Teixeira, já anunciado como diretor de Avaliação da Educação Básica da autarquia, também estava presente.

O presidente do Inep destacou a missão do Instituto de subsidiar a formulação de políticas educacionais dos diferentes níveis de governo com intuito de contribuir para o desenvolvimento econômico e social do país. Durante um encontro em que a Igreja Católica discutia como pode colaborar com a educação brasileira, Marcus Vinícius Rodrigues destacou o papel da autarquia em subsidiar o poder público no planejamento e elaboração de políticas que garantam uma educação de qualidade a todos os brasileiros. “Precisamos nos preparar, sem radicalismos e com uma só bandeira, para a busca de políticas educacionais justas e de qualidade”, defende.

Carlos Eduardo Moreno Sampaio, diretor de Estatísticas Educacionais do Inep, recorreu às estatísticas do Censo Escolar, aos resultados do Sistema Nacional da Educação Básica (Saeb) e ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), além do desempenho brasileiro no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) e na Pesquisa Internacional sobre Ensino e Aprendizagem (Talis), todos realizados pelo Inep, para revelar os desafios da alfabetização no Brasil e seus impactos no desempenho dos estudantes da Educação Básica. “Explorando vários dados do Inep, mostramos o diagnóstico que temos da educação básica, revelando aos bispos presentes uma nova perspectiva de atuação”, destaca Moreno.

Foi uma oportunidade de mostrar a gravidade de algumas questões que só as estatísticas e as avaliações revelam. “Os dados do Inep são reveladores da realidade, trazem uma nova perspectiva porque permite conhecer melhor os problemas, com base em evidências. A Igreja é uma instância que pode contribuir para a melhoria da educação porque ela tem contato com as famílias. Levar esse assunto para a igreja pode fazer com que as famílias acompanhem mais de perto a alfabetização dos filhos, apoiem as escolas, estejam mais presentes e, também, cobrem do executivo local quando os resultados forem desfavoráveis. Escola é mais do que um espaço com paredes bem pintadas e crianças sentadas. A criança tem que estar nesse espaço aprendendo, se qualificando para o exercício pleno da cidadania”, defende Moreno.