14 de Maio de 2016

Mendonça Filho assume com a promessa de manter políticas que tenham impacto direto na população

"Nenhum dos importantes projetos, das importantes missões, nenhum deles será descontinuado", afirmou nesta sexta-feira, 13, o novo ministro da Educação e Cultura, Mendonça Filho, ao se apresentar aos servidores e colaboradores. Ele citou, nominalmente, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o Programa Universidade para Todos (ProUni) como políticas que têm impacto direto na população e devem ser mantidos.

"Nós teremos a responsabilidade de fazer com que todos os grandes e importantes projetos do Ministério da Educação sejam preservados, mantidos e aprimorados", disse o ministro, que confirmou o nome da professora paulista Maria Helena Guimarães como secretária-executiva.

Mendonça Filho também falou dos desafios apresentados pelo Plano Nacional de Educação (PNE), pela Base Nacional Comum Curricular (BNC) e da educação básica. "O PNE deve ser sempre o objetivo central do ministério, como grande condutor da política educacional brasileira. A discussão ampla, aberta e democrática da Base Nacional Comum Curricular é algo fundamental para que possamos integrar o Brasil do ponto de vista educacional: o ensino básico como grande prioridade."

Para o ministro, assumir o ministério é uma missão institucional em um momento sensível da política brasileira. "Sem preconceitos, com absoluta responsabilidade, eu assumo o Ministério da Educação conclamando a todos para que possamos ter um clima de harmonia, de respeito mútuo, de respeito às divergências e de construção de uma boa equipe técnica", disse.

Carreira — Mendonça Filho assinou o termo de posse como novo titular do agora denominado Ministério da Educação e Cultura na quinta-feira, 12, em cerimônia realizada no Palácio do Planalto. Aos 49 anos, com experiência nos poderes Legislativo e Executivo, o novo ministro tem o desafio de tocar uma das pastas mais importantes do país.

Nascido em 12 de julho de 1966, em Recife, José de Mendonça Bezerra Filho começou a carreira política em 1986, ao ser eleito deputado estadual, em Pernambuco. Quatro anos depois, foi reeleito. Em 1991, licenciou-se para assumir a Secretaria de Agricultura do estado. Como deputado federal, estava no terceiro mandato (1995-1999, 2011-2015 e 2015-2019) antes de ser convidado pelo presidente interino da República, Michel Temer, para assumir o comando do MEC.

Casado, pais de três filhos, Mendonça Filho é graduado em administração de empresas pela Faculdade de Ciências Administrativas da Universidade de Pernambuco (UPE), fez curso de gestão pública pela Kennedy School, escola de governo da Universidade de Harvard (EUA). Começou a vida pública aos 20 anos. Foi o deputado estadual mais novo eleito no país. Elegeu-se governador de Pernambuco em 2006. Antes, foi vice-governador em 1999–2002 e 2002–2006, secretário de estado (1991–1993) e deputado estadual por dois mandatos (1987–1990 e 1991–1994). Na Câmara dos Deputados, na área de educação, apresentou projeto para ampliação do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) a alunos de autarquias municipais e para estabelecer os 6 anos como idade máxima para alfabetização das crianças na rede pública.

Assessoria de Comunicação Social