Encceja 06 de Outubro de 2014

Instituto federal e Colégio Pedro II serão certificadores no exterior

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (IFB) celebraram na sexta-feira, 3, acordo de cooperação técnica para realização do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). A partir de agora, a certificação para fins de conclusão do ensino médio de brasileiros que moram no exterior fica a cargo do IFB.

A emissão do certificado tem por base os resultados de desempenho dos candidatos obtidos na avaliação. Para tanto, os participantes do exame devem atingir nota mínima, definida pelo Inep. O candidato também deve ter idade mínima de 18 anos completos na data de realização das provas.

O processo de certificação pelo IFB terá acompanhamento técnico do Inep. A entrega do diploma aos brasileiros residentes no exterior será feita por meio das embaixadas do Brasil no país de aplicação do exame. O acordo terá vigência de cinco anos, com possibilidade de prorrogação.

O reitor do IFB, Wilson Conciani, destaca a função social do exame. "Nossa preocupação é promover a inclusão social e a transformação da sociedade pela educação", afirma. Para Conciani, trata-se do reconhecimento da formação do cidadão brasileiro que mora fora do país. "O IFB pode colaborar fornecendo o certificado a quem atingiu o nível educacional necessário à continuidade da carreira."

Fundamental — A certificação dos aprovados no Encceja no exterior para o ensino fundamental será feita pelo Colégio Pedro II, do Rio de Janeiro, uma das mais respeitadas instituições de ensino do país. O reitor Oscar Halac salienta a importância de atender aos brasileiros que vivem fora do Brasil e querem obter o certificado. "Se há possibilidade de a certificação ser feita por uma instituição nacional, isso é extremamente importante porque estamos cumprindo o nosso papel, e o Pedro II quer colaborar com essa iniciativa", diz.

As provas do Encceja já foram aplicadas em Ota, Hamamatsu e Nagóia (Japão); Lisboa (Portugal); Bruxelas (Bélgica); Caiena (Guiana Francesa); Boston e São Francisco (Estados Unidos).

O Encceja é feito por pessoas que não tiveram a oportunidade de concluir o ensino fundamental na idade apropriada e pretendem obter a certificação de conclusão. Os resultados garantem a certificação de conclusão do ensino fundamental para quem vive no Brasil e dos ensinos fundamental e médio para aqueles que moram no exterior.

Parceria — O Encceja no exterior é realizado por meio de parceria entre o Inep e o Ministério das Relações Exteriores, responsável pela logística de aplicação das provas. Os candidatos do ensino médio fazem provas de linguagens, códigos e suas tecnologias (língua portuguesa, língua estrangeira moderna, artes e educação física); matemática e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias (história, geografia, filosofia e sociologia); ciências da natureza e suas tecnologias (química, física e biologia).

Para o ensino fundamental, são aplicadas provas de língua portuguesa, com redação; língua estrangeira moderna; educação física e educação artística; matemática; história e geografia e ciências naturais. Para concorrer ao certificado de conclusão do ensino fundamental é preciso ter no mínimo 15 anos completos na data de realização das provas.

Assessoria de Comunicação Social do Inep