Revalida 21 de Julho de 2014

Abstenção no exame é a menor nos últimos quatro anos

O índice de abstenção da primeira fase do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras (Revalida) foi de 8,02%. Dos 2.157 inscritos, 1.983 realizaram a prova no domingo, 20. O balanço foi divulgado nesta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela realização do exame.

Nesta edição, a abstenção foi a menor desde a criação do exame, como indica a tabela:
 

2011

Inscritos

Presentes

Abstenção

677

536

20,83

2012

Inscritos

Presentes

Abstenção

884

782

11,54

2013

Inscritos

Presentes

Abstenção

1.772

1.595

9,99

2014

Inscritos

Presentes

Abstenção

2.157

1.983

8,02

 

Esta primeira fase do exame, que contou com 110 questões de múltipla escolha e uma prova discursiva, foi aplicada em dez capitais: Rio Branco (AC), Manaus (AM), Fortaleza (CE), Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Brasília (DF) e Campo Grande (MS). O resultado deve ser divulgado em 25 de agosto próximo. Apenas os aprovados passarão para a fase seguinte.

Na segunda etapa, em 27 e 28 de setembro próximo, serão avaliadas as habilidades clínicas — os participantes vão simular situações reais de atendimento médico.

O Revalida foi criado em 2011 para simplificar o processo de reconhecimento de diplomas de medicina emitidos por instituições de ensino estrangeiras. Para exercer a profissão no Brasil, o médico formado no exterior precisa revalidar o diploma.

O exame é orientado pela matriz de correspondência curricular para fins de revalidação de diplomas médicos expedidos por instituições estrangeiras. Na matriz foram definidos conteúdos, competências e habilidades das cinco grandes áreas de exercício profissional — cirurgia, medicina de família e comunidade, pediatria, ginecologia-obstetrícia e clínica médica.

Málcia Afonso