Censo Escolar 24 de Novembro de 1998

Defasagem entre idade e série continua alta

A defasagem idade/série atinge 46,7% dos alunos do ensino fundamental e 53,9% do ensino médio. Esta é uma das principais revelações do balanço final do Censo Escolar de 1998, realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão ligado ao Ministério da Educação.

Traduzindo em números, significa que 16,7 milhões de alunos, de um total de 35,8 milhões que estão matriculados no ensino fundamental estão atrasados em relação aos seus estudos. Destes 16,7 milhões, mais da metade (8,5 milhões) têm 15 anos ou mais de idade.

No ensino médio, a defasagem idade/série afeta 3,7 milhões, mais da metade dos 6,9 milhões de alunos matriculados nas escolas públicas e privadas de todo o país.

"É falsa a premissa de que é benéfico para o aluno com desempenho insatisfatório repetir a mesma série", afirma a presidente do Inep, Maria Helena Guimarães de Castro.

O problema começou a ser enfrentado de dois anos para cá, explica a presidente do Inep, com as classes de aceleração de aprendizagem.

Pelos dados do Censo Escolar deste ano, as matrículas em programas de correção de fluxo abrangem 1,2 milhão de alunos de 1ª à 8ª série.

As principais causas da distorção idade/série são a reprovação e o abandono escolar. Outro fator que contribui para a distorção é a "retenção" de alunos nas chamadas classes de alfabetização – um subnível de ensino entre o pré-escolar e o ensino fundamental.

As classes de alfabetização devem ser extintas nos próximos anos, mas ainda existem mais de 800 mil alunos matriculados nessas turmas, a maioria nas regiões norte e nordeste, onde, por fatores socioeconômicos e culturais, as crianças entram mais tarde na escola.

Na região nordeste, a taxa de distorção atinge, em média, 64,2% dos alunos do ensino fundamental e 69,5% dos alunos do ensino médio. Na região norte, é de 61,3% no ensino fundamental e 73,2% no ensino médio. O sul é a região com os menores índices, de 25,8% no ensino primário, e de 39,1%, no secundário.

O estado com a taxa de distorção mais alta, no ensino fundamental, é a Bahia. Neste estado, 68,3% dos alunos possuem idade superior à série que deveriam estar cursando. O estado com a menor taxa é o Rio Grande do Sul, com 22,6%.

No ensino médio, o estado com a maior taxa de distorção é Tocantins, com 79,3% e o estado com a menor taxa, mais uma vez, é o Rio Grande do Sul, com 33,6%.

"Quando um aluno de 7 anos é reprovado na 1ª série do ensino fundamental, ele já vai contribuir para inflar as estatísticas de distorção até o final do ciclo e em todos os níveis subseqüentes", explica a presidente do Inep, Maria Helena Guimarães de Castro.

A idade recomendada para ingressar na 1ª série é 7 anos e para concluir a 8ª série, 14 anos. Para ingressar no ensino médio, a idade ideal é 15 anos e para conclusão, 17 anos.

Taxa de Distorção Série/Idade Ens. Fund. - Total - 1998

Unidade da Federação

Série (%)

Total

1ª série

2ª série

3ª série

4ª série

5ª série

6ª série

7ª série

8ª série

Brasil

Norte

Rondônia

Acre

Amazonas

Roraima

Pará

Amapá

Tocantins

Nordeste

Maranhão

Piauí

Ceará

R. G. do Norte

Paraíba

Pernambuco

Alagoas

Sergipe

Bahia

Sudeste

Minas Gerais

Espírito Santo

Rio de Janeiro

São Paulo

Sul

Paraná

Santa Catarina

R. G. do Sul

Centro-Oeste

M.G. do Sul

Mato Grosso

Goiás

Distrito Federal

Fonte: MEC/INEP/SEEC

Taxa de Distorção Série/Idade no Ens. Médio - 1998

Unidade da Federação

Série (%)

Total

1ª série

2ª série

3ª série

4ª série

Brasil

Norte

Rondônia

Acre

Amazonas

Roraima

Pará

Amapá

Tocantins

Nordeste

Maranhão

Piauí

Ceará

R. G. do Norte

Paraíba

Pernambuco

Alagoas

Sergipe

Bahia

Sudeste

Minas Gerais

Espírito Santo

Rio de Janeiro

São Paulo

Sul

Paraná

Santa Catarina

R. G. do Sul

Centro-Oeste

M. G. do Sul

Mato Grosso

Goiás

Distrito Federal

-

Fonte: MEC/INEP/SEEC
Nota: O não-seriado não é incluído no cálculo da taxa 

Assessoria de Comunicação do Inep