Censo Escolar 03 de Agosto de 2004

Censo Escolar vai coletar informações por aluno

A coleta de informações do Censo Escolar passará a ter como foco o aluno e não a escola. Com isso, cada estudante possuirá um cadastro pessoal com informações básicas que permitirão o acompanhamento de sua trajetória escolar. Atualmente, as escolas informam somente a situação do conjunto dos seus estudantes.

Para que a mudança se concretize, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep/MEC), órgão responsável pelo levantamento, implantará, em 2005, um projeto-piloto e, em 2006, o objetivo é mudar a sistemática de realização do Censo Escolar.

Essa nova engenharia vai permitir a criação de um banco nacional de alunos, que terá como núcleo de informação o nome e a data de nascimento do aluno, e o nome da mãe. Com isso, ao fornecer, por exemplo, dados de rendimento (aprovação, reprovação e abandono), o diretor da escola fará isso individualmente.

Segundo Dirce Gomes, diretora de Estatísticas da Educação Básica do Inep, o que se pretende é mudar a unidade da informação, que passará a ser o aluno. Com a mudança, além dos dados do conjunto dos estudantes, será possível acompanhar a trajetória individual de cada um deles. "Esse procedimento vai elevar o grau de confiabilidade das informações, tanto para uso do governo como para uso da sociedade. Com essa nova engenharia, vamos espelhar melhor a realidade e permitir intervenções mais conseqüentes nas políticas educacionais", afirma.

Internet – O projeto de mudança no Censo Escolar prevê que o fornecimento de informações pelas escolas seja feito por meio eletrônico, preferencialmente pela Internet. Atualmente, segundo dados do Censo, 55% das escolas de ensino médio possuem acesso à Internet e cerca de 15% do ensino fundamental.

Como alternativa para a remessa dos dados, a escola poderá digitar as informações em um disquete e, posteriormente, enviá-las pela Internet. Segundo o Censo, cerca de 90% dos estabelecimentos de ensino com ensino médio declararam possuir microcomputadores e, no ensino fundamental, esse índice é de 33,5%, chegando a 71% na área urbana.

Nesse caso, para possibilitar o envio do questionário pela Internet, o Inep está discutindo a realização de convênios com a Caixa Econômica Federal, com o Banco do Brasil e com a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) que possuem, na maioria dos municípios brasileiros, postos e agências informatizados e com acesso à Internet. A intenção é que essas empresas liberem o uso dos seus equipamentos para o envio dos dados. E, para um grupo de escolas rurais, o Inep prevê, ainda, o uso do formulário impresso.

Assessoria de Imprensa do Inep