Censo Escolar 07 de Outubro de 1998

Classes de alfabetização caminham para a extinção

As classes de alfabetização estão caminhando para a extinção, de acordo com os dados do Censo Escolar de 1998, divulgados ontem (7 de outubro) pelo ministro da Educação, Paulo Renato Souza.

Em 1997, havia 1,4 milhão de alunos retidos neste subnível de ensino, entre a educação infantil e o ensino fundamental. O Censo mostra que, neste ano, o número de alunos é 43,4% menor. Agora são apenas 807 mil alunos matriculados nessas classes, mais da metade na região nordeste.

"Com base nesses números, é possível afirmar, com segurança, que as classes de alfabetização deverão ser extintas dentro de mais um ou dois anos", previu o ministro Paulo Renato.

Segundo ele, as classes de alfabetização retinham os alunos com mais de 7 anos de idade, impedindo-os de ingressar na primeira série do ensino fundamental com a idade correta, como determina a Constituição.

"As classes de alfabetização contribuíam para inflacionar as já elevadas taxas de distorção idade/série existentes no ensino fundamental e no ensino médio. O aluno que ficava retido ingressava na 1ª série, na maioria das vezes, com um ou dois anos de defasagem", explica.

Assessoria de Comunicação do Inep