Saeb 10 de Julho de 2003

Desempenho escolar de 50 mil atendidos pelo Bolsa-Escola será avaliado

 

Participarão alunos da 4ª e 8ª séries do ensino fundamental; prova será aplicada em novembro dentro Saeb

Em novembro, cerca de 50 mil alunos matriculados na 4ª e 8ª séries do ensino fundamental e beneficiados pelo Programa Bolsa-Escola terão os seus desempenhos escolares verificados pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb).

A informação foi dada hoje (10/7), pelo diretor de Programas de Inclusão Educacional do Ministério da Educação, Maurício Muniz Barreto de Carvalho, durante o seminário regional sobre avaliação educacional, que acontece até amanhã em Belo Horizonte. O encontro, realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep/MEC) tem a participação de educadores e técnicos em avaliação e planejamento de Secretarias Estaduais e Municipais dos Estados da Região Sudeste.

A amostra dos alunos atendidos pelo Bolsa-Escola vai representar os mais de oito milhões de beneficiados pelo programa e compor o conjunto de 360 mil estudantes das 4ª e 8ª séries do ensino fundamental e 3ª do ensino médio que farão a prova do Saeb 2003. “Queremos que essa avaliação constitua-se num mecanismo regular da verificação do impacto do Bolsa-Escola sobre a aprendizagem do aluno”, afirma o diretor.

Para Carvalho, a avaliação vai possibilitar a comparação dos alunos bolsistas com os demais estudantes com as mesmas características socioeconômicas e acompanhar a evolução do desempenho escolar. “A partir desse diagnóstico vamos ter subsídios para agregar propostas ao programa que contribuam para o sucesso dessas crianças.”

O Saeb, por meio de um questionário socioeconômico, vai também investigar a influência do programa na valorização educacional da família e do aluno atendido, a expectativa do professor em relação ao bolsista, a interação escola e família dos beneficiados e se há algum tipo de discriminação a esses estudantes. Pretende identificar ainda os motivos das faltas do aluno e como a escola posiciona-se sobre este assunto, e as mudanças positivas percebidas pelos professores em relação à freqüência às aulas, ao comportamento e ao rendimento escolar. Segundo o diretor, utilizando os resultados do Saeb, o Ministério da Educação vai economizar cerca de R$ 1,5 milhão com a realização de uma pesquisa própria sobre o impacto do Bolsa-Escola.

Participantes de seminário pedem mais clareza nos resultados do Saeb Durante o seminário, os participantes solicitaram que o Inep torne as informações da avaliação mais acessíveis aos gestores do sistema educacional e professores. Para o secretário adjunto de Educação de Minas Gerais, João Filocre, as escolas devem ter uma participação mais efetiva na realização do Saeb, pois os professores não o vêem como algo familiar, mas estranho à comunidade escolar. “A avaliação deve ser mais inteligível, ter utilidade e familiaridade, pois, da forma que os resultados são apresentados atualmente, a escola não tira proveito deles e o professor não os reconhece como algo eficiente.”

O diretor de Avaliação da Educação Básica do Inep, Carlos Henrique Araújo, disse que há um grande esforço da equipe do Saeb no sentido de torná-lo “mais palatável”. “Os resultados precisam ser entendidos para que os seus indicadores orientem as políticas educacionais.” Para ele, o Saeb, criado em 1990, foi aperfeiçoado nos últimos anos, mas não se preocupou em comunicar de forma mais compreensível seus resultados. “As mudanças, para disseminar os resultados do Saeb, já começaram. As escalas da avaliação agora estão divididas em cinco níveis de desempenho que vão do muito crítico ao avançado”.

Outras informações sobre o seminário:

  • Data: 10 e 11 de julho de 2003
  • Local: Auditório da Secretaria de Educação de Minas Gerais – Avenida Amazonas, 5855, Gameleira, Belo Horizonte
  • Horário: 9h às 18h
  • Contatos para imprensa: (61)4108023/9563 – (31)33798310