Ações internacionais 14 de Junho de 2018

Estudo Regional Comparativo e Explicativo, aplicado no Brasil pelo Inep, testa seus instrumentos de avaliação

A quarta edição do Estudo Regional Comparativo e Explicativo (ERCE), iniciativa da UNESCO que tem o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) como responsável no Brasil, está em fase piloto. Neste momento, o Estudo, que mede a qualidade educacional do ensino fundamental dos países da América Latina e do Caribe, está em fase de pré-teste dos instrumentos da avaliação antes da sua aplicação definitiva, em 2019. No próximo ano, o ERCE envolverá 18 países da América Latina e do Caribe. O Inep será responsável por medir o nível de aprendizagem, avanços e as lacunas do ensino fundamental brasileiro.

Em maio, o Laboratório Latinoamericano de Evolução da Qualidade da Educação (LLECE), da UNESCO, realizou a aplicação piloto em Cuba e na República Dominicana. Em junho, é a vez do México. Os países da América do Sul, entre eles o Brasil, se preparam para participar dessa fase das atividades entre agosto e novembro.

Nesta fase, os testes serão aplicados para medir o desempenho de alunos do 3° a 6° ano do Ensino Fundamental nas áreas de leitura, escrita, matemática e ciências, sendo essa última aplicada apenas aos estudantes do 6° ano. Da mesma forma, os questionários de fatores associados à aprendizagem serão testados em professores, diretores, alunos e famílias. A proposta é levantar informações sobre a infra-estrutura escolar, preparação de professores, entre vários outros.

ERCE 2019 – O Estudo Regional Comparativo e Explicativo foi aplicado pela primeira vez em 1997. Criado a partir de um acordo entre países da América, o Estudo é uma iniciativa da UNESCO por meio do Laboratório Latinoamericano de Evolução da Qualidade da Educação (LLECE). Cabe ao LLECE produzir informações para fomento das políticas de educação por meio de relatórios que mostram o estado da qualidade da educação nas regiões de estudo. No Brasil, o Inep é responsável pelo Estudo desde a primeira edição.