Ações internacionais 08 de Maio de 2018

Inep representa o Brasil em reunião do Mercosul Educacional

O desenvolvimento e a comparabilidade de indicadores de Primeira Infância, Educação Superior e Escolas de Fronteira estão entre os temas de destaque da XXIX Reunião do Grupo de Trabalho de Indicadores do Mercosul. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), por meio da pesquisadora da Diretoria de Estudos Educacionais (Deed) Rachel Pereira Rabelo, representa o Brasil no encontro realizado de 7 a 8 de maio, em Assunção, capital do Paraguai. Está sendo discutida, dentre outras pautas, a inclusão da Agenda 2030, no que se refere à Meta 4 dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, na lista de indicadores e publicações do Grupo de Trabalho de Indicadores (GTI).

O Inep e o Ministério da Educação (MEC) são os responsáveis por realizar as atividades do Grupo de Trabalho de Indicadores (GTI); do Grupo de Trabalho de Terminologia (GTT); da Rede de Agências Nacionais de Acreditação (Rana) e do Comitê Técnico de Avaliação (CTA). No mesmo ano, foi designado ao MEC a Comissão de Representação para o Setor Educacional do Mercosul (SEM).

O GTI tem importante papel na produção de indicadores e de publicações que subsidiam tecnicamente os Planos de Ação do Setor Educacional do Mercosul, contribuindo para o desenvolvimento e articulação dos sistemas de ensino dos países membros e associados do Mercosul. O Brasil, por meio de sua representação no GTI, tem o compromisso de fornecer os dados e informações sobre o seu sistema de ensino, definidos nesse projeto, bem como participar das reuniões em que são tomadas as decisões e discutidas as propostas de desenvolvimento e aprimoramento dos indicadores.

SEM – O Setor Educacional do Mercosul é um espaço de coordenação das políticas educacionais que reúne países membros e associados ao Mercosul desde dezembro de 1991, quando o Conselho do Mercado Comum (CMC) criou, através da Decisão 07/91, a Reunião de Ministros de Educação do Mercosul (RME). A proposta é formar um espaço educacional comum, por meio da coordenação de políticas que articulem a educação com o processo de integração do grupo, estimulando a mobilidade, o intercâmbio e a formação de uma identidade e cidadania regional, com o objetivo de alcançar uma educação de qualidade para todos, com atenção especial aos setores mais vulneráveis, em um processo de desenvolvimento com justiça social e respeito à diversidade cultural dos povos da região.