Educação Básica 24 de Março de 2014

Fórum internacional debate habilidades não cognitivas

Ministros da educação, lideranças educacionais e outros representantes de 14 países estão reunidos para debater como a escola pode preparar, de maneira inovadora, crianças, adolescentes e jovens para o mundo, estimulando as chamadas competências socioemocionais ou não cognitivas. O Fórum Internacional de Políticas Públicas: Educar para as competências do século XXI, acontece nesta segunda-feira, 24, e terça-feira, 25, em São Paulo.

Perseverança, colaboração, autocontrole, curiosidade, otimismo e confiança são exemplos de competências socioemocionais que devem ser trabalhadas no ambiente escolar, a fim de estimular o desenvolvimento integral da criança, do adolescente e do jovem.

Na manhã desta segunda-feira, o ministro da Educação, Henrique Paim, debateu com os demais ministros sobre os desafios políticos, práticas de ensino e ideias inovadoras para o desenvolvimento dessas competências. "Este debate no Brasil é recente. Essas competências (não cognitivas) devem estar presentes no âmbito das políticas públicas educacionais", disse.

O ministro afirmou ainda que programas como o Mais Educação, de fomento à educação integral, permitem trabalhar essas competências no ambiente escolar.

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Chico Soares, observou que as crianças, adolescentes e jovens brasileiros precisam desenvolver no seu período de educação básica todas as capacidades necessárias para inserção nos mundos da cidadania e do trabalho. "Isso envolve adquirir, ao mesmo tempo, conhecimentos e habilidades, cognitivas e socioemocionais", afirmou.

Acordo – Na manhã desta segunda-feira, o MEC, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Instituto Ayrton Senna assinaram protocolo de intenções para incentivar pesquisas sobre o desenvolvimento e papel de habilidades socioemocionais no ensino. O documento prevê a criação de um programa de formação de pesquisadores e professores no campo das competências não cognitivas. Além disso, a Capes lançará, em até 90 dias, edital para a concessão de bolsas de estudos na área. "O que queremos é criar uma massa crítica neste debate sobre as competências socioemocionais", destacou o presidente da Capes, Jorge Guimaraes.

O evento prossegue nesta terça-feira, 25, com mesas-redondas e a apresentação de iniciativas ligadas ao tema. O presidente do Inep, Chico Soares, coordena o fórum de pesquisadores no segundo dia.

O Fórum Internacional é promovido pelo Ministério da Educação, pelo Inep, pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e pelo Instituto Ayrton Senna.

Danilo Almeida