Prêmio Inep de Jornalismo 20 de Dezembro de 2017

Conheça os vencedores do Prêmio Inep de Jornalismo

Os portais Tribuna do Ceará e G1; e o jornal Correio Braziliense são os grandes vencedores do Prêmio Inep de Jornalismo – Avaliações e Estatísticas Educacionais, promovido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Em cerimônia na sede do Instituto, em Brasília, na noite desta quarta-feira, 20, foram anunciados os primeiros, segundos e terceiros lugares de cada categoria. Em sua primeira edição, o Prêmio Inep de Jornalismo teve 130 trabalhos inscritos, de 92 jornalistas diferentes. Foram 72 na categoria Avaliação da Educação Básica; 17 na categoria Avaliação da Educação Superior e 41 na categoria Estatísticas Educacionais.

A jornalista Giuliana Morrone conduziu a cerimônia, que reuniu autoridades como o Ministro da Educação, Mendonça Filho; a secretária executiva do MEC, Maria Helena Guimarães de Castro; a presidente do Inep Maria Inês Fini. Também estavam presentes secretários do MEC; representantes da Capes, Consed, Undime, FNDE; jornalistas; especialistas em educação e servidores e colaboradores do Inep.

Premiados – Na categoria Avaliações da Educação Superior o primeiro lugar ficou com o portal Tribuna do Ceará, com a matéria Vale da Rapadura. A equipe de reportagem percorreu quase 1.000 quilômetros por estradas do Ceará para conhecer a rotina de seis escolas públicas com os melhores desempenhos no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) no Brasil. O nome da matéria é uma referência ao alimento produzido no estado e servido na merenda das escolas públicas. Em segundo lugar ficou a matéria O caminho das pedras: índices de desenvolvimento educacional guiam evolução do ensino básico em Pernambuco, do portal Diário de Pernambuco. O terceiro colocado é a Agência Social de Notícias, com a matéria  “Rumo a 2022: como gestão, engajamento e inovação estão melhorando o Ideb em três estados”.

Na categoria Avaliações da Educação Superior o primeiro lugar ficou com o jornal Correio Braziliense, com a matéria O desempenho do ensino jurídico no DF. A matéria publicada originalmente no jornal impresso, e com complemento de vídeo em sua versão na internet, revela o desempenho dos cursos de direito da capital federal no último Exame de Ordem, e faz comparações com os Indicadores de Qualidade da Educação Superior calculados pelo Inep.

Nesta categoria, por consenso, os jurados optaram por premiar apenas um trabalho, por considerarem que os demais não se adequaram aos critérios estabelecidos pelo regulamento.

Na categoria Estatísticas Educacionais a matéria premiada em primeiro lugar foi do portal G1: 35% dos professores de educação infantil não têm diploma; entenda a importância da formação em pedagogia. A partir de dados do Inep, a matéria discute a importância de o profissional que atua nos anos escolares iniciais ter a formação universitária em pedagogia. Em segundo lugar ficou a série de três matérias Ensino (abaixo do) Médio, do Projeto Colabora. A terceira colocação foi do portal Uol, com a matéria Educação Infantil é lugar de homem? Eles mostram que sim.

Todos os sete premiados receberam troféus e certificados, emitidos também para todos os co-autores citados na inscrição. O Prêmio Inep de Jornalismo – Avaliações e Estatísticas Educacionais também ofereceu prêmio em dinheiro aos jornalistas vencedores: R$ 20 mil para os primeiros colocados; 15 mil, para os segundos; e R$ 10 mil, para os terceiros. A premiação é um oferecimento da Organização dos Estados Iberoamericanos para Educação, a Ciência e a Cultura (OEI).

Segunda edição – A presidente do Inep, Maria Inês Fini, aproveitou a ocasião para anunciar o 2º Prêmio Inep de Jornalismo – Avaliações e Estatísticas Educacionais. A segunda edição também será realizada em parceria com a OEI, mas terá mudanças de categorias. Os trabalhos poderão se inscrever na categoria Avaliações e Estatísticas da Educação Básica e Avaliações e Estatísticas da Educação Superior. Ambas vão premiar os melhores trabalhos em cada meio: impresso, TV, rádio e internet; além do Grande Prêmio, que premiará a melhor matéria da categoria, independentemente do meio. Poderão concorrer matérias publicadas a partir de 14 de novembro de 2017. O Inep publicará o regulamento com detalhamento das regras no primeiro bimestre de 2018.

O Prêmio Inep de Jornalismo, lançado nas comemorações de 80 anos de fundação do Instituto, em janeiro deste ano, é um reconhecimento à contribuição da imprensa brasileira para o entendimento das avaliações e estatísticas, que pautam o monitoramento e desenvolvimento das políticas públicas de educação. O objetivo do Inep é estimular e prestigiar trabalhos jornalísticos sobre educação, em especial aqueles que abordem os temas das avaliações e estatísticas educacionais, duas áreas de atuação da autarquia do Ministério da Educação (MEC).

Vencedores do Prêmio Inep de Jornalismo

AVALIAÇÕES DA EDUCAÇÃO BÁSICA

1º lugar

Vale da Rapadura 

Portal Tribuna do Ceará
Jéssica Welma de Assis Gonçalves, Nasion Frota, Rafael Luís Azevedo, Roberta Tavares, Mayara Rodrigues e Adriano Paiva

2º lugar

O caminho das pedras: índices de desenvolvimento educacional guiam evolução do ensino básico em Pernambuco

Portal Diário de Pernambuco
Ed Wanderley, Larissa Lins, Rafael Martins e Luciana Morosini

3º lugar

Rumo a 2022: como gestão, engajamento e inovação estão melhorando o Ideb em três estados

Site Agência Social de Notícias

José Pedro Soares Martins

AVALIAÇÕES DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

1º lugar

O desempenho do ensino jurídico no DF

Jornal Correio Braziliense
Ana Paula Lisboa

ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS

1º lugar

35% dos professores de educação infantil não têm diploma; entenda a importância da formação em pedagogia

Portal G1

Luiza Tenente

2º lugar

Série de três reportagens: Ensino (abaixo do) médio, Evasão recorde no primeiro ano do Ensino Médio, Como o Ceará está vencendo a repetência no Ensino Médio

Portal Projeto Colabora

Flávia Milhorance, Levi de Freitas e Catarina Barbosa

3º lugar

Educação infantil é lugar de homem? Eles mostram que sim

Portal Uol

Guilherme Azevedo