Encceja 16 de Fevereiro de 2011

Brasileiros residentes no Japão farão prova em maio

Brasileiros residentes no Japão que não tiveram oportunidade de concluir seus estudos na idade apropriada – 15 anos para o ensino fundamental e 18 anos para o ensino médio – têm a oportunidade de obter a certificação desses níveis de escolaridade. O Inep aplicará provas do Encceja – Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos – no Japão. Brasileiros privados de liberdade também poderão fazer a prova. As inscrições, gratuitas, devem ser feitas entre o dia 22 de fevereiro e o dia 18 de março de 2011, exclusivamente via Internet, por meio do endereço eletrônico http://sistemasencceja2.inep.gov.br/exterior. A Embaixada Brasileira em Tóquio, no Japão, fará a inscrição dos brasileiros submetidos a penas privativas de liberdade.

As provas serão aplicadas nos dias 14 e 15 de maio nas cidades de Nagoya, Oizumi e Hamamatsu e obedecem aos requisitos básicos estabelecidos pela legislação brasileira em vigor. Para o ensino fundamental será proposto um tema para redação e serão aplicadas quatro provas objetivas, cada uma com 30 questões de múltipla escolha: Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes, Educação Física e Redação; Matemática; História e Geografia; Ciências Naturais.

Para certificação no ensino médio também deverá ser feita uma redação e quatro provas objetivas, cada uma com 30 questões de múltipla escolha, nas seguintes áreas de conhecimento: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Redação; Matemática e suas Tecnologias; Ciências Humanas e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias.

Os participantes que alcançarem a pontuação mínima exigida receberão certificado – de ensino fundamental ou de ensino médio – com a chancela da secretaria de educação do DF. A presidente do Inep, professora Malvina Tuttman recebe, nesta quinta-feira, a secretária de Educação do DF, Regina Vinhaes Gracindo, para assinatura do acordo de cooperação técnica que estabelece a parceria.

Assessoria de Imprensa do Inep